domingo, 6 de novembro de 2011

negativo em película



Os negativos sobre suporte plástico (a que chamamos vulgarmente de película) foram introduzidos no final do século XIX. Segundo Bertrand Lavédrine, o primeiro da família a nascer foi o nitrato, amplamente utilizado até cerca de 1950, altura em que foi interdito por ser altamente instável e inflamável. O nitrato foi então substituído pelo acetato de celulose, menos inflamável, e por esta razão chamado de safety film. O negativo em poliester foi também introduzido por esta altura, sendo ambos ainda utilizados pelas indústrias fotográfica e cinematográfica.

É possível encontrarmos numa colecção fotográfica três tipos de negativos em película que diferem quanto ao suporte em que foram fabricados -  sobre nitrato de celulose, acetato de celulose  e poliester. Sobre este suporte plástico transparente morava, tal como nos negativos sobre suporte de vidro, uma emulsão de gelatina impregnada de sais de prata*




© catarina miranda basso

 


5 comentários:

Anónimo disse...

Catarina
Tenho uma duvida, que agradecia se soubesse me responder, quanto ao material dos negativos, nao sei o que se sao, se nitrato, poliester etc.
Este tipo de negativos sao muito grandes 9,2cmx6cm. Existe algum tipo de liquido utilizado para se poder limpar sem estragar, claro que nao é para uso profissional nao pretendo muito caro ;-) Segundo este tipo de negativos são brilhantes de um lado e baço de outro, nunca sei qual o lado que deverei digitalizar. Sei que alguns deles datam dos anos 20s.
Obrigado.
Paula

wheelhouse disse...

Cara Paula,
Para já, aconselho a leitura de uma das páginas que apresento aqui, porque o tipo de tratamento depende de saber qual o suporte: se é nitrato, acetato ou poliester.
se como diz são dos anos 20, o mais provável é que sejam nitratos, o que me leva a aconselhar cuidado com o seu manuseamento, porque são inflamáveis...
o link é duma empresa portuguesa altamente profissional, a Lupa, de Luís Pavão:
http://www.lupa.com.pt/site/index2.php?cont_=ver2&id=332&tem=172
mais logo, com mais tempo, volto para completar a informação.

APS disse...

(2ªvia)
São muito interessantes estas suas fotografias, porque os "negativos" deixam margem à imaginação. O menos que posso dizer do seu Blogue é que é muito original.

Anónimo disse...

Obrigado Catarina
Eu vou ler a pagina.
E sabe por acaso dizer-me qual é lado que se digitaliza, se o baço se o brilhante?
Paula

wheelhouse disse...

A Paula, é a Paula ;-)
Vou mandar-lhe informações para o FB...Beijinhos!

PS: Obrigada Arpose!

Publicação em destaque

as fontes discretas

já no distante ano de 2009, Maria do Carmo Serén publicou um artigo sobre a minha tese de mestrado, a que chamou de " as fontes discre...